Pesquisar

segunda-feira, 12 de março de 2012

Dilma, exclusivo: Mais ainda!

Meu alter ego publicou sua entrevista com Dilma. Leia aqui as partes que você não leu lá*:


Quem imaginava uma presidente emocionalmente abalada, depois de chorar em público pela saída de um assessor, pode desistir. A Dilma Rousseff que entrou no salão do Palácio Alvorada para tomar café vinha lépida, feliz, rejuvenescida e entusiasmada. Com sua simpatia natural: “cadê a droga do meu café-da-manhã? Vocês já se atrasaram de novo?!”. Sentou-se e eu a cumprimentei: “bom dia, presidente! Que honra lhe ver depois de...” - fui, generosamente, interrompido por ela que afirmou: “nem vem, Nassifra, o que você quer?! Seu dinheiro já foi depositado por Erê (Erenice Guerra, primeira-dama da República). O desconto dos 6% é a taxa de sucesso que você já está careca de saber...” Assim que ela terminou o caloroso cumprimento, expliquei o motivo da minha visita. Como se fosse possível, Dilma se tornou mais receptiva ainda: “P#$@, nada de foto, Celso (Kamura, cabeleiro oficial) tá de férias...”

Expliquei que não seriam necessárias fotos, pois o povo brasileiro via o sorriso dela, naturalmente, toda vez que fechava os olhos...

Logo depois deste descontraído bate-papo, o copeiro entrou com o modesto café-da-manhã. Dilma lhe recebeu com um simpaticíssimo “bom dia” que dispensa transcrição.

Eu assisti a presidente comer, enquanto lia o Diário do ABC. Eu não me convidei, pois já tinha jantado na noite anterior. Depois de se deliciar com seu tradicional café-da-manhã brasileiro, Dilma se levantou e foi se preparar para o expediente.

Acompanhei a presidente até a área de trabalho. Ao chegar lá, ela cumprimentou todos com um carinho inenarrável. Logo em seguida, dirigiu-se rapidamente para seu gabinete para iniciar os despachos. Na porta uma placa escrita “Presidente da República”, fiz menção de entrar, mas fui impedido antes que cometesse uma gafe. Não era ali a sala de Dilma. Andamos mais um pouco e vi uma porta pequena que parecia a de um armário, nela escrito “Puxadinho”. Dilma e sua comitiva entraram lá. Indaguei o motivo daquilo e responderam que a outra sala ainda pertencia a Lula e ninguém entrava lá. Estava guardada para sua gloriosa volta.

Depois do despacho, Dilma se reuniu com lideranças do PMDB para tratar da ótima relação entre o partido e o PT. Eu não pude acompanhar a reunião, mas da porta deu para ouvir os gritos agradáveis que saíam de lá. Após alguns minutos, um deputado peemedebista saiu alegre, bateu na calça e me falou sorrindo: “melhor cem mil na cueca do que um na poupança, né não, Nassifra?!” Fui obrigado a discordar...

Logo em seguida, a presidente foi até uma escola próxima ao Palácio para um visita. Uma das crianças levantou a mão e Dilma perguntou:
- Qual é o seu nome, meu filho?
- Paulinho.
- E qual é a sua pergunta?
- Eu tenho três perguntas.
- A primeira é “Onde está o dinheiro do cofre do Adhemar?”
- A segunda é “Quem matou o Prefeito Celso Daniel?”
- E a terceira é “A senhora sabia dos escândalos do mensalão ou não?”.

Dilma ficou desnorteada, mas neste momento a campainha para o recreio tocou e ela aproveitou e disse que continuaria a responder depois do recreio.

Após o recreio, Dilma disse:
-OK, aonde estávamos? Acho que eu ia responder perguntas. Quem tem pergunta?

Um outro garotinho levantou a mão e Dilma apontou para ele e perguntou:
- Qual é seu nome?
- Joãozinho, e tenho cinco perguntas:
- A primeira é “Onde está o dinheiro do cofre do Adhemar?”
- A segunda: “Quem matou o Prefeito Celso Daniel?”
- A terceira: “A senhora sabia dos escândalos do mensalão ou não?”
- A quarta: “Porque o sino do recreio tocou meia hora mais cedo?”.
- E a quinta: “Cadê o Paulinho?!”

Saímos rapidamente da escola por conta de uma emergência nacional.

Ao final desta alegre visita à escola, Dilma voltou para a Granja do Torto e fui impedido de acompanhar o final do dia da presidente.

Apesar do encerramento súbito, deu para considerar bastante produtivo o nosso dia com a presidente Dilma. Fico no aguardo de um novo convite.


*Notas: (1) em 10/01/11, publiquei o artigo falso "Especial: o Dia com a Presidente". Ontem, 11/03/12, Luis Nassif publicou em seu blog sua entrevista com Dilma e não pude deixar de notar as semelhanças. (2) Piada do Paulinho original de http://antidilma.com.br